4 dicas de como calcular hora extra. Saiba aqui!

Com as mudanças ocorridas no cotidiano do trabalhador com a reforma trabalhista, uma série de alterações entraram em vigor. Mas será que houve alguma novidade na forma como calcular a hora extra?

É muito comum, em algumas épocas do ano, que o trabalhador precise prolongar sua jornada de trabalho. Entretanto, é necessário acompanhar quantas horas extras mensais foram feitas e verificar se o cálculo está sendo realizado de forma correta.

Para ajudar você a entender melhor como calcular hora extra, levantamos 4 dicas importantes para realizar esse procedimento. Confira!

1. Tenha em mãos o valor da hora comum

A legislação trabalhista determina que a jornada normal de trabalho seja de, no máximo, 8 horas/dia ou 44 horas semanais. As atividades laborais que ultrapassam esse horário são consideradas horas extras.

No entanto, as horas extras devem ser computadas apenas se o trabalhador estiver realizando serviços que se enquadram nas suas tarefas diárias e na descrição do seu cargo.

Por exemplo, tomaremos como base o salário mínimo vigente, que é de R$ 954,00, para saber o valor da hora comum, dividiremos por 220 h que corresponde a 44 horas semanais, então teremos:

R$ 954,00/220 = R$ 4,33. Esse é o valor da hora trabalhada em tempo integral.

2. Fique atento ao percentual de acréscimo

As jornadas de horas extras devem ser solicitadas somente em casos excepcionais, havendo acordo entre as partes. Para que o empregado saiba exatamente quantas horas extras foram realizadas, é fundamental que tenha em mãos o valor da hora comum:

  • para jornadas extras diárias, será acrescido 50% da hora comum trabalhada;
  • para finais de semana ou feriado, serão acrescidos 100% sobre o valor normal;
  • e o acréscimo de mais de 100% ocorre apenas mediante negociações coletivas (acordos, convenções ou dissídios).

Utilizando o mesmo exemplo anterior, com base no salário mínimo vigente, vamos supor que o trabalhador fez 20 horas extras em dias normais, ou seja, que não eram feriados ou finais de semana.

Nesse caso, o valor de R$ 4,33 é somado ao acréscimo de 50% = R$ 6,49, ou seja, esse valor deverá ser multiplicado por 20, cujo resultado totaliza R$ 129,80.

Agora, digamos que esse mesmo empregado tenha realizado 6 horas em um dia de feriado, o cálculo será: R$ 4,33 mais o acréscimo de 100% = R$ 8,66, multiplicado por 6 horas = R$ 51,96.

É fundamental deixar claro que os valores de desconto sobre as horas extras devem seguir a tabela de contribuição do INSS.

3. Fique atento aos acréscimos e adicionais noturnos

Um dos diferenciais que empregado precisa ficar atento é em relação a hora extra noturna — para trabalhos realizados entre as 22h de um dia e as 5h do dia seguinte. Isso porque há um acréscimo diferenciado.

Assim, é preciso que seja realizado o cálculo da hora extra diurna para depois acrescentar 20% sobre o valor.

4. Use ferramentas para ajudar

A nova reforma trabalhista trouxe ao empregador a possibilidade de estabelecer um acordo direto com a empresa, sendo negociadas as horas extras, seja em pagamento ou em dias de folga.

Para ajudar a calcular hora extra é fundamental contar com o auxílio de ferramentas que possam ajudar a reduzir os erros e falhas humanas e, assim, otimizar o tempo produtivo.

Softwares de gestão oferecem a facilidade de integrar o registro de ponto com os sistemas de Recursos Humanos, possibilitando que todo o cálculo seja realizado automaticamente, de acordo com as normas atuais trabalhistas. Tudo feito de forma simples, prática e ágil!

Agora que você já sabe como calcular hora extra, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro dos nossos melhores conteúdos!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.